Sem categoria

Ninina Bakery: café charmoso em Palermo Soho

No primeiro post propriamente dito nesse blog, quero começar falando um pouco sobre o que eu vi em Buenos Aires e alguns dos lugares que eu fui.

Mas, primeiro, um adendo: a bem da verdade, a capital portenha nunca esteve no topo da minha lista de viagens. Muita gente fala de lá com um certo desinteresse e há até quem diga que em dois ou três dias você vê tudo que há pra ser visto e ainda sobra tempo. Não sei se é rivalidade com nossos hermanos ou se falta empolgação em viajar tão perto de casa. Seja como for, não deixe essas pessoas te desanimarem a visitar essa cidade tão linda: não faltam lugares e cantinhos incríveis pra conhecer por lá!

Fui parar em BsAs pela primeira vez em 2015, e fico feliz de lá ter sido o destino da minha primeira viagem internacional. A encontrou uma promoção boa no Decolar e, cerca de um mês depois, lá estávamos nós.

A verdade é que eu, que não tinha grandes expectativas, me vi completamente apaixonada pela cidade. A arquitetura do centro antigo; as fachadas extravagantes das lojas cheias de fileteados; as mil lojinhas de objetos de design; as vitrines cheias de doces em cada esquina. Eu achei tudo incrível!
Fiquei tão encantada em Buenos Aires que acabei voltando esse ano pra mostrar os lugares que eu tanto amei – e descobrir mais outros… – com o meu noivo. E o legal de voltar à uma cidade que já visitamos é exatamente ver o que merece uma segunda visita.
E o Ninina Bakery definitivamente merece uma, duas e muitas outras!

O Ninina é uma cafeteria artesanal que produz diariamente seus produtos usando ingredientes frescos e orgânicos.
Fica em Palermo Soho, um bairro moderno e cheio de lojas lindas, principalmente pra quem gosta de design. Ele pode ser a sua primeira parada por lá pra um café da manhã reforçado, um pit stop pra um almoço leve ou quem sabe um café e docinho pra comemorar o fim de um dia de passeio.

Eles servem brunch, pratos quentes, drinks e abrem das 8h00 à meia noite, então é fácil achar algum momento da sua viagem pra poder conferir esse lugar.

A decoração de lá é incrível.
Logo na entrada, uma vitrine cheia de doces da pastelería portenha! Scones, muffins, brownies, budíns e alfajores pra já ir enchendo os olhos antes mesmo de entrar.
O salão do Ninina é amplo e de pé direito alto. Madeira clara, muito cobre na iluminação, os famosos azulejos de metrô branquinhos nas paredes e um balcão enorme de mármore onde ficam expostas as tortas (pra nós, “bolos”) do dia, uma com a cara melhor que a outra.

Sinceramente, a melhor parte pra mim é que é um ambiente cheio de luz natural, bem arejado e gostoso pra passar muito tempo e conferir tudo sem pressa.. só depende mesmo da sua fome e do seu bolso.

Da primeira vez que estive lá, chegamos famintas. O Ninina não fica muito perto de nenhuma estação de metrô, e andamos mais de 3km da que descemos (Palermo, se não me engano). Não que tenha sido ruim. Fazia um friozinho bom naquela manhã e foi gostoso poder ir vendo o bairro com calma, à pé. Mas isso abriu muito nosso apetite, haha!

Como fui lá mais de uma vez na primeira viagem e mais uma vez esse ano, deu pra provar algumas opções do cardápio, mas eu teria que ficar muito mais tempo lá pra poder comer de tudo um pouco!
Os panqueques americanos vem com frutas e mel orgânico e são deliciosos pra quem curte café da manhã nesse estilo. Se você não estiver afim de doces, pode pedir os huevos de campo benedictinos que não vai se arrepender, foi até um pedido que eu tive que repetir quando voltei! Os huevos de campo revueltos são um pouco mais leves sem o molho hollandaise e acompanham um pão caseiro de ervas que é muito gostoso.

Pra acompanhar tudo isso, tem mil sucos, cafés frios e quentes, chás, infusões… é coisa, viu!
Não me lembro direito do que era esse suco vermelho e verde da foto, mas era algum detox de 500ml (!) delicioso. O verde é uma das várias limonadas que eles têm por lá; essa se não me engano era de menta e gengibre, uma delícia!
O café e cappuccino também são sensacionais, mas vale lembrar que café na Argentina é carinho.
O bom é ir lá num dia em que você tá meio enfastiada de tanta empanada, pizza, carnes, etc e quer algo leve. É uma comida saudável e um pouco mais difícil de se achar no centro, onde fiquei hospedadas em ambas as vezes.

Americana: massa genoise sem farinha e doce de leite orgânico

Apesar do Ninina ser famoso pelos doces, o que me encantou mais foram os salgados. Provei a torta Americana e Tartufo.
A primeira é uma massa genoise (lembra um pouco pão de ló) de côco sem farinha bem fofa e recheada de doce de leite orgânico, e a Tartufo tem uma marquise de chocolate amargo também sem farinha como massa, recheio de mousse de chocolate amargo e o mesmo doce de leite, com merengue italiano por cima.
Não me levem a mal, são doces muito gostosos, mas a Americana era um pouquinho massuda pro meu gosto e a Tartufo podia ter um chocolate mais amargo. A verdade também é que Buenos Aires é uma cidade com tanto doce gostoso que a gente vai ficando muito exigente, hahahah
Mas vale à pena provar pelo menos um docinho por lá, é um pecado sair sem comer ao menos uma bolachinha!

Dessa segunda vez, vi que estavam vendendo algumas coisas que eles fabricam por lá!
Trouxe pra casa um pacotinho do Espresso Ninina, uma latinha de chá sabor Rooibos Vanilla e um açúcar orgânico pra minha mãe.
Eu pedi pra eles moerem o café lá mesmo no grão expresso pra poder fazer na minha cafeteira, e quem quiser pode fazer o mesmo, mas o ideal é moer o mais próximo possível de quando você for começar a usar o café.

O Espresso Ninina tem como base o café Caranavi da Bolívia (60%) e leva também o Tolima da Colômbia (30%) e o Alta Mogiana (10%) do nosso Brasil varonil! haha
E é uma delícia!! Encorpado e intenso do jeito que eu gosto.
Na descrição diz que ele leva “avelãs, casca de limão e açúcar mascavo, com acidez balanceada, corpo cremoso e notas de fundo de chocolate” e, sinceramente? Foi a melhor compra dessa viagem!! Haha eu queria muito ter trazido mais um pacotinho pq esse já está sendo economizado e tá nas últimas.. delicioso mesmo!
Pra quem curte café, compra que você não vai se arrepender.
E o Rooibos Vanilla também é muito gostoso, uma infusão bem suave e perfumada. Um ótimo presente pra trazer de lembrança pra alguém querido.. ou pra você mesmo, rs. Só enrole bem a lata em uma blusa ou algo assim, porque a minha chegou meio sofrida e amassada, coitada.

Bom, e preços?
Olha, o Ninina não é muito barato não. Pra quem mora em SP, regula com as cafeterias de Pinheiros, Vila Madalena.. e o Espresso Ninina segue a linha do 02 do Urbe. Dá pra conferir o preço das coisas que eu falei no site deles, daí é fazer a conversão pra ter uma ideia.
Como nessa última viagem conseguimos câmbio 1 real = 5,4 pesos argentinos, é só pegar os preços do cardápio e dividir por 5,4.
Mas eu acho que vale à pena porque é um lugar muito gostoso, com coisas de qualidade que me fizeram querer voltar.
Reserve seus pesos pro Ninina que você não vai se arrepender! 😉

Eba!

Estou muito animada em começar o meu blog novo!

Eu amo a sensação de começar algo. É empolgante, cheia de energia, muitas possibilidades.
Mas nem sempre foi assim. Por algum tempo, era sinônimo de ansiedade e de pensar em tudo o que poderia dar errado na hora de tentar algo. E esse foi um tempo difícil pra mim.

A verdade é que, se a gente ficar se preocupando que algo pode dar errado, não faz nada.
Eu sei que isso é um conceito relativamente simples, mas demorei pra entender isso de verdade.

Esse primeiro post mesmo já foi adiado por tempo demais porque eu queria encontrar as palavras certas. Explicar exatamente sobre o que seria blog, conseguir me apresentar de um jeito que fosse claro..

Não sei se elas são as palavras certas, talvez essas sejam, mas elas são as primeiras!

Bem-vindos!!